• Ayllana Ferreira

Mãe, estou indo embora

Atualizado: 30 de Mai de 2020

post de março de 2017


Sempre quando criança, me imaginei em um Contos de Fada. Conhecia o início da minha história, o meu “Era uma vez”, e sempre idealizava como seria o meu “Felizes Para Sempre”. Sempre sonhei com a profissão ideal, o marido perfeito e a vida perfeita. Porém, nunca havia questionado sobre qual seria o meu papel na conquista disso tudo.,

Ir embora de casa faz parte da vida de todo mundo. Seja para estudar, se casar ou simplesmente, recomeçar. Para mim, uma menina vivida em uma cidade do interior, seria a minha chance de correr atrás dos meus sonhos. Diamantina, a cidade em que vivo, não tem o curso de Jornalismo. Seria necessário ir para Belo Horizonte (capital Mineira) para correr atrás dos meus sonhos e começar a escrever sozinha o meio da minha história.


Me mudar foi uma das coisas mais difíceis que eu já passei. Não tinha certeza se o Jornalismo era o curso ideal para mim. Não sentia que Belo Horizonte era a minha cidade ideal e, muito menos, que eu estava no lugar certo. Passei um semestre na companhia dos livros. Ligava para minha mãe e meu pai quase todos os dias, e por várias vezes, eu chorei desesperada na linha do telefone, e só queria ir embora.


Fui consolada várias vezes pelo meu namorado. Ele me deu colo, atenção e amor. Por várias vezes, eu descontei nele todas as minhas frustrações e pensei que eu estava no fundo do poço, mas ele sempre me levantou e fez com que eu me reerguesse.


Por mais vezes ainda, eu sofri pelos amigos que eu perdi o contato. Pessoas que eu pensei que estariam na minha vida para sempre, mas que só trocaram frases comigo em meses. Contudo, como em toda boa história, novos amigos surgiram, e eu vi que a minha felicidade não estava entrelaçada a eles.


O que eu estou dizendo, querido leitor, que é comum sofrer. É comum se desesperar e querer ir embora. É mais comum ainda pensar que você nunca será feliz naquele lugar, e que você está completamente sozinho. Porém, em todas as suposições, você provavelmente está errado.


A felicidade é construída. Só você pode definir o seu futuro. Não são as suas escolhas que moldam quem você é. Pelo contrário, a sua natureza as define. Você escreve a sua história, você escreve o seu destino. E só cabe a você definir como vai ser a sua experiência de mudar de vida.


Além disso, você nunca está sozinho. Por mais que você está ou irá passar grande parte do tempo só, você nunca estará totalmente alone. Por mais que você não sinta as pessoas fisicamente, elas estão lá por você, prontas para te ouvir e te dar apoio. Lembro que eu custei a entender isso. Eu me sentia sozinha por que não tinha pessoas ao meu redor. Infelizmente, existem momentos na vida em que isso acontece mesmo. Mas cabe a você compreender que a solidão de verdade é muito mais que isso. Se existem pessoas te apoiando, amigos no wpp a sua disposição, ou, simplesmente, um número que você sabe que pode ligar a qualquer momento, você não faz mais parte dessa categoria sentimental.


Quanto a desistir… Sempre que pensar nisso, se questione se realmente vale a pena. Você quer mesmo voltar para casa e desistir do seu sonho por ser o caminho mais fácil?! Eu sempre penso da seguinte maneira: É melhor se arrepender das coisas que você fez, do que pelas que você deixou de fazer. Não estou dizendo para você ser imprudente, muito pelo contrário. Estou dizendo para você arriscar e tentar de verdade, porque nós só vivemos uma vez, e por mais que pareça que as horas não passam quando estamos entediados, a verdade é que a vida passa rápido demais. Então aproveite todos os momentos. Sobreviva aos ruins e curta ao máximo os bons.


Mudar é sempre algo muito difícil. Não digo mudar de lugar, e sim psicologicamente. Sempre quando amadurecemos, recebemos várias coisas e perdemos outras. Crescer é algo necessário, mas nem sempre é fácil. Ao longo da vida, sofremos, choramos e perdemos coisas que sempre imortalizamos. Todavia é simplesmente incrível ver o que ganhamos. Sentir que você amadureceu e que se tornou uma pessoa melhor, ou, simplesmente, descobrir novos sentimentos e amores em coisas tão comuns, mas que antes não valorizávamos.


No meu ano fora de casa, eu valorizei mais meus pais. Minha mãe se tornou a minha melhor amiga. Meu pai o meu herói. Só quando vamos embora de casa que conseguimos sentir o peso da responsabilidade e das escolhas. Começamos a ver que aquele puxão de orelha ou aquele sermão quilométrico tem um por que. E que das várias vezes que achamos que nossos pais estavam sendo uns malas, eles só estavam tentando nos proteger do mundo, e evitar que tomássemos uma decisão que ainda não estávamos preparados para tomar.


E não foi só isso que eu aprendi. Eu aprendi a valorizar os pequenos momentos, as brincadeiras, as piadinhas e até mesmo as provocações. Eu aprendi a amar minha própria cama e o meu quarto, a não deixar de fazer coisas que eu sempre quis fazer por causa das opiniões alheias.


Como se já não bastasse isso tudo (talvez não pareça grande coisa, mas é), eu descobri quem realmente sou, e o que realmente eu quero. Eu descobri quem é Ayllana Ferreira, vi os meus vícios, minhas paixões e meus defeitos. Eu descobri quem eu quero ser e o que eu preciso mudar.


Como eu disse, ir embora de casa é um desafio. De todos os períodos de minha vida, talvez tenha sido o que eu mais sofri e o que eu mais cresci como pessoa. É necessário passar por tudo isso. Para você, que está indo se mudar, quando quiser chorar, chore, se desmanche. Quando se sentir sozinho, ligue para alguém ou faça algo que distraia (eu encontrei meu conforto em ligações e livros. Quando estou lendo, sinto que estou em um outro mundo em que os meus problemas não me alcançam, e eu posso ser o que sempre quis). Quando fizer algo errado, conserte. Nada é sem conserto. Quando pensar que está em um beco sem saída, pense de novo, sempre há mais de uma escolha em um mesmo percurso. E por fim, quando pensar em desistir, nunca desista. Mude o seu caminho.


Às vezes, voltar para casa parece desistir, mas não é. É mudar de tática e tentar de novo. Conheci pessoas que tentaram essa experiência, mas não conseguiram. Foram embora de casa e voltaram em menos de um ano. Mas é assim mesmo, nem sempre estamos preparados para a experiência. Não desista de seus sonhos por que não deu de primeira. Tente de novo. Volte se for necessário, mude de curso quantas vezes achar que for preciso. Corra atrás da sua felicidade, não espere que ela venha até ti, porque ela não virá.


Por mais que eu tenha sofrido em minha mudança, foi uma experiência indescritível, e eu não pensaria duas veze antes de fazer tudo isso de novo. Para você, que está se mudando ou pretende mudar algum dia, não tenha medo, seja forte, você é capaz.

13 visualizações0 comentário

toda vez que você apoia um projeto de um iniciante, um cavalo pega seu chifre e vira um unicórnio

  • Preto Ícone Instagram

© 2020 por Ayllana Ferreira.

Criado trabalhosamente com Wix.com