• Ayllana Ferreira

11 opções de filme que acabam com qualquer dia entediante

Filmes são uma oportunidade de viajar sem sair do lugar, de conhecer culturas e universos novos, que talvez não teríamos acesso se não fosse pelas produções cinematográficas.


Estamos vivendo um momento ímpar, em que sonhar está mais importante do que nunca. Precisamos ter esperança em dias melhores para sobreviver a loucura que está sendo a crise do Covid-19.


Pensando nisso, e claro, como uma forma de termos mais opções do que fazer durante a quarentena, fizemos uma lista especial, com 11 filmes de diferentes estilos. Todas as opções nos marcaram de alguma forma, espero que gostem. Aperte os cintos, e vamos de resenha.



1. As Branquelas (comédia)



Não é segredo para ninguém que as Branquelas é um dos meus filmes favoritos de vida, tanto é que em qualquer oportunidade que tenho, utilizo figurinhas ou gifs da produção Hollywoodiana.


Na película de 2004, após o fracasso em uma operação para prender um traficante de drogas, seguido de outro fracasso em escoltar duas socialites, os agentes do FBI, Kevin e Marcus, vividos respectivamente pelos brilhantes irmãos Shawn e Marlon Wayans, fazem de tudo para não perder seus empregos.


A fim de recuperar o prestígio perdido na missão, temendo ser demitido, os dois agentes negros decidem se transvestir das duas socialites branquelas para descobrir o que está acontecendo. Em 1h55 de filme, eu, que não sou fã de comédias e normalmente não acho graça nenhuma de piadas forçadas, morro de rir com as trapalhadas dos dois amigos e me encanto com o que é proposto.


A história cativa e surpreende pela ousadia, isso em falar em várias cenas épicas. Se você gosta de comédia, e ainda não viu As Branquelas, veja. É quase uma cinematografia obrigatória.



2. Qualquer gato vira-lata (comédia romântica BR)



Pensaram mesmo que eu tinha desistido da ideia?


Quando vi Qualquer gato vira-lata, não pude deixar de notar as várias semelhanças com o notório A Verdade Nua e Crua. Porém, mesmo com tantos pontos em comum, é muito difícil não se encantar pelo triângulo amoroso vivido por Cléo Pires, Malvino Salvador e Dudu Azevedo.


Na obra, após terminar novamente seu romance com o mulherengo Gustavo, Tati decidi pedir ajuda ao guru amoroso, vivido por Salvador. Criado a partir de uma peça de teatro, o filme nos faz refletir até que ponto vale a pena correr atrás de alguém e claro, sobre amor próprio.


Cada dia que passa, como fã de comédias românticas, a filmografia brasileira vem me surpreendendo bastante com a qualidade das novas e antigas obras


.

3. A Escolha Perfeita (Musical)



Se você é um amigo próximo meu, e eu nunca te fiz ver esse filme, algo de muito errado não está certo. Precisamos rever nossa amizade.


Brincadeiras à parte, em A Escolha Perfeita, conhecemos a história das Barden Bellas, um grupo de garotas da elite (bonitas, magras e blablabla) que precisam se adequar após um acidente para conseguir competir no Acapella.


Não, não sou a garota dos musicais, pelo contrário, tenho ódio mortal de quando qualquer fala se torna um motivo para cantar. E é por isso, que A Escolha Perfeita tem um lugar a mais no meu coração.


Diferentemente de toda a carga-dramática dos seus semelhantes do estilo, o filme é divertido, encantador e espontâneo.



4. Como perder um homem em 10 dias (comédia romântica)



Vendo a possibilidade de mudar de editoria e escrever sobre política, o que sempre quis, a jornalista Andie (Kate Hudson) decide fazer uma reportagem especial, sobre hábitos femininos que afastam qualquer homem em 10 dias.


O que ela não esperava é que justamente o cara escolhido, o publicitário mulherengo Ben (Matthew McConaughey), havia feito uma aposta semelhante, só que ao contrária. Ele conseguiria fazer qualquer mulher se apaixonar por ele em 10 dias.


Com as cartas postas à mesa (só para a gente, é claro), nos divertimos com a personificação de várias coisas que fazemos, perfeitamente representadas por Andie. Não sei quanto as outras pessoas, mulheres e homens, mas na primeira vez que vi, me peguei refletindo se não tinha uma parcela de culpa em outros relacionamentos fracassos que vivi.



5. Uma Linda Mulher (romance)



Sim, eu disse que tentaria trazer filmes mais desconhecidos, mas é impossível falar de romances, sem falar de Uma Linda Mulher.


Na obra de 1990, Vivian (Julia Roberts), uma prostituta, recebe a chance de mudar de vida após ser contratada para ser a acompanhante de luxo de um executivo (Richard Gere). Seja pela trilha sonora, pelas discussões propostas ou o que for, Uma Linda Mulher tem um espaço especial no coração de toda pessoa que gosta do estilo.


Normalmente, não sou a pessoa que assiste romances puros, prefiro algo mais puxado para a comédia romântica ou terror. Mas esse filme, em específico, está entre um dos favoritos da vida e a opção ideal para aqueles dias de “quero desistir do amor, cansei”.



6. Um olhar no paraíso (drama)



Nos 5 minutos iniciais, eu já sabia que Um olhar no paraíso seria um filme diferente de tudo que eu já tinha visto até então.


A obra começa do final, contando a triste história da carismática Susie Salmon (Saoirse Ronan), que é assassinada aos 14 anos pelo vizinho da porta ao lado. De início, os pais da garota recusam a acreditar que ela morreu. Do outro lado, o espírito raivoso da garota tenta fazer à diferença antes que o criminoso sexual (não fica claro, mas imagino que seja) faça mais vítimas.


Um olhar no paraíso é aquele clássico caso do filme que choca pela minúcia de detalhes e pela identificação. Qualquer uma de nós, mulheres, poderia ser a garotinha inocente, que é encurralada por uma pessoa que se mostravam confiável. Durante o filme, enquanto vivia aquela experiencia, parei para pensar, quantas Susies devem existir por aí?



7. Histórias Cruzadas (histórico)



Falar sobre o racismo é de suma importância. Enquanto mulher, considerada como branca, ver filmes como Histórias Cruzadas, a indicação a seguir e, até mesmo, as Branquelas, é uma forma de compreender o outro lado da moeda, que não é o meu lugar de fala.


Histórias Cruzadas é um filme sobre empregadas negras, norte-americana, e tudo que elas precisam viver para se sustentar, inclusive, abrir mão dos seus próprios filhos. Em forma de relatos, Histórias Cruzadas choca, seja pelas atrocidades cometidas pelo racismo ou por perceber que embora seja uma história do passado, é mais presente do que nunca na sociedade.


Acho que de todos os filmes da lista, é o único que TODA pessoa deveria ver, independente se gosta ou não do estilo.



8. Nós (ficção / terror)



Será que é mesmo ficção?


Explicar Nós é, sem sombra de dúvidas, uma das coisas mais difíceis que já fiz. No filme dirigido pelo maravilhoso cineasta Jordan Peele, acompanhamos uma daquelas obras difíceis de digerir e repletas de significado.


Uma típica família negra norte-americana tem sua casa invadida por estranhos. Vestidos com macacões vermelhos, com armas e escondidos nas sombras, os estranhos são apavorantes. No entanto, tudo muda quando o simples filme de invasão domiciliar, se torna algo a mais. Os invasores são, na verdade, sósias dos moradores da casa.



Será que já podemos rotular como racismo a Lupita Nyong’o, que representa tanto a mãe como a vermelha, não ter sido indicada ao óscar?



9. Resident Evil 1 (ação/terror)



As más línguas dirão que era totalmente esperado. Mas juro que antes de decidir sobre Resident Evil, estava plena escrevendo sobre o Predador de 1987. No entanto, se vamos falar de filme de ação, tenho que citar Resident Evil 1, que foi, por anos, um dos meus favoritos de vida.


Na obra, Alice (Milla Joivich) acorda nua, na banheira, sem lembrar de absolutamente nada da sua vida, nem mesmo do seu nome. Algumas cenas após, sua mansão é invadida pela Umbrella, empresa em que trabalhava, explicando que algo muito estranho aconteceu na Colmeia.


A Colmeia é um laboratório subterrâneo, embaixo da mansão. Assim, para descobrir o que houve, Alice e uma equipe tática decidem ir até o laboratório.


Infelizmente, após o filme dois, a saga se perde nas trocentas sequências desnecessárias.



10. O poço (suspense)



Eis uma escolha que não sei se todos concordaram comigo, pelo contrário, já pego meu escudo para me defender das possíveis pedras que virão. No controverso filme da Netflix, os humanos são submetidos à uma experiência social de isolamento em um poço, no qual são testados sua capacidade de resiliência, empatia e solidariedade.


Em forma de um prédio com vários andares, completamente presos e vivendo com somente uma pessoa, todos os dias, uma única refeição desce em um elevador móvel, sem nenhuma fiscalização.


As regras são claras, só não pode roubar comida, de resto, tudo é válido. Para minha grande surpresa, tá, talvez nem tanto, os primeiros andares se esbanjam, sem se preocupar com os últimos. Para não morrer de fome, os moradores do prédio precisam se submeter aos mais variados tipos de atrocidade.


O Poço foi aquele tipo de filme que me fez refletir por horas e repensar sobre os rumos da nossa sociedade. Recomendo para todos.



11. O Silêncio dos Inocentes (thriller / terror)



Se vamos falar de filme de terror, é quase uma filmografia obrigatória.


Na obra de 1991, para resolver um caso de assassinato antes que seja tarde demais, Clarice Startling (Jodie Foster), uma brilhante estudante do FBI, decide pedir ajuda à um dos maiores estrategistas e sádicos serial-killer da história, Hannibal Lecter (Anthony Hopkins), acusado de canibalismo.


Enquanto uns, aplaudirão de pé minha escolha, outros, não entendem e jamais entenderão o porquê de O Silêncio dos Inocentes ser o que é: um filme premiado, prestigiado pela crítica e apontado como um dos melhores do estilo.


Ao meu ver, parte das percepções e rótulos vem da brilhante forma com que o roteiro é construído e apresentado. Isso sem falar, é claro, na surreal atuação do Anthony Hopkins e da própria Jodie. Mas, realmente, não é um filme para todos. O Silêncio dos Inocentes tem um ritmo lento e um estilo bem diferente dos filmes de susto do cinema atual.



Caso queiram filmes mais rápidos e tradicionais, deixo de indicação uma lista que fiz para o Calma Ana.



Bônus 1: A Noiva Cadáver (animação)



Se vamos falar de animação, existem dois filmes que tem um lugar no meu coração. Detona Ralph, da Disney e a Noiva Cadáver, do Tim Burton.


Hoje, optei em falar da Noiva Cadáver que é, ao meu ver, um filme brilhante, que não recebe os devidos biscoitos que merece. Na animação em estilo gótico com personagens de massinha, vemos uma história sobre amor, assassinato, questão social e libertação.


Após falhar nos votos do seu casamento, Victor decide ensaiar em uma floresta. O que ele não imagina é que a ação poderia casá-lo com uma noiva cadáver, que morreu vários anos atrás naquele mesmo lugar.


Não gente, A Noiva Cadáver não é um filme para crianças. Mas é, sem sombra de dúvidas, uma obra brilhante, que deveria ganhar sim mais biscoitos somente pela sua sensibilidade.



Bônus 2: Zoombievers (trash)



Vocês acharam mesmo que eu faria uma lista deixando de lado meus queridinhos Trashs? Hihi sabe de nada, inocente.


Em Zoombievers, após descobrir que Zoe estava sendo traída pelo namorado (fé que acertei qual personagem era), um grupo de garotas decide ir para uma casa do lago, sem homens, para aproveitar e esquecer.


Mas, o que elas não imaginam era que dias antes, no mesmo local onde vão se divertir, um acidente com lixo tóxico aconteceu, transformando os inocentes castores que moravam no local, em castores zumbis, sedentos por sangue.


A melhor parte da obra é que todas as pessoas atacadas pelos castores, se tornam, também, castores zumbis. Assistir um filme trash é uma experiência diferente. Caso opte por Zoombievers, tenha clareza que é um filme feito para ser ruim. Com isso na cabeça, você está mais do que pronto para se tornar um consumidor de filmes Trashs

E aí, gostaram da lista? Se pudessem substituir qualquer um desses filmes por outro da sua escolha, qual seria o premiado?



Veja também

5 filmes com mães inspiradoras

Calma Ana indica: 5 filmes para o final de semana

5 visualizações0 comentário

toda vez que você apoia um projeto de um iniciante, um cavalo pega seu chifre e vira um unicórnio

  • Preto Ícone Instagram

© 2020 por Ayllana Ferreira.

Criado trabalhosamente com Wix.com